Como surgiu o movimento …

Dar resposta às milhares de vozes que ecoaram ao final da 1ª Caminhada do Silêncio – realizada em São Paulo (SP), em 2019 – contra a violência perpetrada pelo Estado brasileiro durante a ditadura militar.

É para realizar este objetivo que existe movimento “Vozes do Silêncio contra a Violência de Estado”, que busca preservar a memória e revelar a verdade para evitar que se repitam as violações de direitos humanos cometidas durante o período ditatorial e garantir que novos episódios não ocorram frente ao atual contexto político.


Este ano de 2020, em meio à crise do #Covid19, a caminhada foi transformada na VIGÍLIA PELA DEMOCRACIA

Acompanhe também pelo FACEBOOK

TODO DIA, PRESENTE!

Dênis Casemiro

18 de maio é a data em que Dênis Casemiro[1] teria morrido. Ele foi mais uma vítima de desaparecimento forçado, que teve como principal responsável o famigerado delegado Sérgio Fleury. Waldemar Andreu, em depoimento à Comissão da Verdade do Estado de São Paulo, contou que ainda viu Dênis com vida e conversou com ele noContinuar lendo “Dênis Casemiro”

Stuart Angel

Em 14 de maio de 1971, Stuart Angel Jones foi preso por agentes da ditadura e, depois disso, barbaramente assassinado. Seu corpo foi ocultado e a família sequer foi informada de sua morte. “Onde está meu filho, onde está meu filho?”, insistia sua mãe, a estilista Zuzu Angel, desde esse dia, como faziam (e aindaContinuar lendo “Stuart Angel”

Adauto Freire da Cruz

No dia 13 de maio de 1979, o cidadão de nome Celestino Alves da Silva morreu de ataque cardíaco, quando durante uma batida policial, acabou sendo detido e espancado na rua. A tensão que gerou o infarto era porque, além da coação que estava sofrendo, ele trazia consigo panfletos de propaganda pela anistia e eraContinuar lendo “Adauto Freire da Cruz”