Vígilia pela Democracia 2020


Neste ano, a caminhada não pode ser realizada pela impossibilidade de ocuparmos as ruas com a chegada do coronavírus. Mas, a necessidade de isolamento não impediu que a iniciativa se transformasse em mais de 24 horas de ações pela internet.

Vídeo que sintetiza o sentimento das pessoas que estariam caminhando em silêncio_não fosse a pandemia do Covid, e que foi como um chamamento para as ações online e nas janelas em todo país

Criação e edição Nacho Lemos

A memória não entra em quarentena…

Inspirado em algumas obras audiovisuais, Paula Sacchetta criou este vídeo que foi divulgado no dia 31, trazendo uma importante reflexão, e soma de diversas vozes envolvidas nas ações do movimento.


A maioria da programação aconteceu PELAS REDES SOCIAS
na página do FACEBOOK assim como nas páginas das outras entidades e grupos engajados no movimento

https://www.nucleomemoria.com.br/
https://vladimirherzog.org/
Grupo Tortura Nunca Mais
Coletivo resistência; TVGGN; Jornalistas Livres e
Coletivo Projetemos


A Violência do Estado lembrada pela Vigília produziu e produz vítimas de várias formas. Torturas, execuções sumárias, desaparecimentos forçados e tratamentos cruéis são uma face da moeda, mas não se. pode esquecer das vítimas decorrentes da misoginia, da xenofobia, da perseguição contra a liberdade de expressão e liberdade de imprensa, da intolerância política oriunda de atos estatais; enfim, das diversas expressões do autoritarismo. 



Os participantes da Vigília se identificaram usando este selo:





Muitas pessoas participaram enviando vídeos e depoimentos, para chamar para a ação nas redes, e também para contribuir com seus depoimentos


Como foi a programação

PROGRAMAÇÃO DA VIGÍLIA PELA DEMOCRACIA

31 de março

14:00 – Twittaço (use as Hashtags)
#DitaduraNuncaMais
#56AnosDoGolpeMilitar
#LutoNaJanela

18:00 às 20:00 horasABERTURA

WEB-SEMINÁRIO #DitaduraNuncaMais Moderação Luis Nassif Jornalista e Eugênia Gonzaga Procuradora Regional da República
Participantes:
Marlon Weichert Procurador Regional da República
Maurice Politi Integrante do Núcleo de Preservação da Memória Política
Rogério Sotilli Presidente do Instituto Vladimir Herzog
Adriano Diogo Presidente da Comissão da Verdade do Estado de São Paulo – Rubens Paiva
Diva Santana Membro da Comissão Nacional da Verdade e familiar de mortos e desaparecidos políticos
Rosa Cunha Cardoso Advogada e Membro da Comissão Nacional da Verdade
James Green Historiador
Márcia Hattori Antropóloga Forense Perita com atuação em valas antigas (Brasil, Peru e Espanha)
Cajá Nunes Diretor do Centro Cultural Manoel Bezerra
Carmen Silva Coordenadora do Movimento do Sem Teto do Centro
Ivan Seixas Jornalista Ex-preso político e familiar de vítimas da ditadura

LINK direto AQUI

20:30 – Barulhaço


21:00– Twitaço (use as Hashtags)
#DitaduraNuncaMais
#56AnosDoGolpeMilitar
#LutoNaJanela

21:30 – Sarau da Vigília

22:00 – Filme “O dia que durou 21 anos” (2013), Direção e Roteiro Camilo Tavares, Produção Karla Ladeia.

Documentos secretos e gravações originais da época mostram a influência do governo dos Estados Unidos no Golpe de Estado no Brasil em 1964. O filme destaca a participação da CIA e da própria Casa Branca na ação militar que deu início a ditadura.


1º de abril

A partir de zero horas até meio dia serão exibidos e disparados nas redes sociais, filmagens curtas com depoimentos de pessoas das mais diversas origens sobre a Ditadura Militar; Podcasts, entrevistas e videologias.


Alguns filmes foram gentilmente cedidos para serem exibidos apenas durante as transmissões ao vivo da vigília

9:40 – “Alma Clandestina” (2018), Direção: José Barahona sobra a Maria Auxiliadora Lara Barcellos.


11:45 – Filme “Lauri e a Subversão” – (Lauri and the Subversion) 2018, Direção de Marco Antonio Visconte Escrivão, Pedro Fernandes Russo.
(curta metragem 25 min )

12:20 –  Filme “Diário de uma busca” (2011) Direção de Flávia Castro.
(longa metragem 1h48min).

14:00 – Filme “Torre das Donzelas” (2019) Direção de Susanna Lira, música de Flavia Tygel e produção de Lívia Nunes. (longa metragem 1h37min)

16:00 – Filme “Trago comigo” Direção de Tata Amaral,
música de Bruno Serroni, Habacuque Lima. (longa metragem 1h24min)

18:00 – Twitaço final (use as Hashtags)
#DitaduraNuncaMais
#56AnosDoGolpeMilitar
#LutoNaJanela

18h:00  – Debate sobre 

56 Anos do Golpe no Brasil: Ditadura Nunca Mais

Com os convidados:
Maria Rita Kehl
Vera Paiva
João Goulart Filho
Renan Quinalha

LOCAL: Live pela página do facebook do DCE Livre da USP

Como surgiu o movimento …

Em Março de 2019…

… milhares de pessoas saíram às ruas, em todo o país, para participar de marchas silenciosas e das mais variadas manifestações realizadas em protesto ao golpe civil-militar de 1964.

Foi o maior ato público contra a ditadura militar e a recorrente violência de Estado, desde a Constituição de 1988.

%d blogueiros gostam disto: